Foto Tour na Etiópia com Nuno Lobito

A Etiópia é um mundo surpreende. Habitada por tribos que preservam tradições de uma terra que jamais foi colonizada, ela foge ao estereótipo dos países vizinhos, que são famosos pelos safáris que oferecem.

Este país com menos de um século de independência, tem um passado riquíssimo. A antiga Abissínia foi lar dos primeiros hominídeos e sediou um império poderoso, com raízes no século 10 a.C. Deu ainda ao mundo o café, nascido nas montanhas de Kaffa – daí o nome da bebida. E, especialmente para quem ainda tem em mente as imagens de miséria dos anos 80 do seculo passado, a nação mostra que cresceu tanto desde então que até passou a ser sede da União Africana.

É um destino para quem quer ser impactado, tanto fisicamente como emocionalmente, será recompensado por todos os desconfortos que encontra pelo caminho com as memórias dos tesouros em que vai “tropeçando”.

Das igrejas escavadas nas pedras de Lalibela, das paisagens dramáticas das montanhas Simien do Lago Tana, da depressão de Danakil, aos povos de cultura ancestral do Vale do Omo, no sul, a viagem pela Etiópia vai marcar sua vida.

Uma imersão cultural pelas Tribos do Vale do Omo vai levar-nos a um dos lugares mais selvagens e etnicamente diversificados da Terra - o Vale do Omo. Esta é uma experiência fotográfica e cultural durante a qual interagiremos com várias comunidades tribais que ainda vivem quase exatamente como viviam há centenas de anos. Infelizmente, o desenvolvimento e as devastações da modernização estão a ameaçar estes povos únicos e, como tal, o Vale do Omo é um destino para ser visitado antes de perder a sua pureza original.

Das 83 tribos que compõem a nação etíope, 65 vivem no sul, no remoto Vale do Omo que é um lugar  inóspito e ao mesmo tempo mágico. Viajar por terra pelo entorno do Rio Omo permite entrar em contato com povos que preservam os seus costumes da África ancestral. Cada um com sua própria linguagem, roupas, estilos de cabelo e ornamentação corporal.

O nosso tour fotográfico enfoca sete dessas tribos: Bodi, Mursi, Nyangaton, Dassanech, Hamar, Konso e Dorze.

Este tour fotográfico, dá-lhe a oportunidade de capturar imagens excecionais destas "Tribos da Etiópia" com o nosso Mentor em fotografia, o reconhecido fotografo Nuno Lobito.

 

 

 

 

 

 

 

 

Informação adicional

Início a 06 Novembro, 2021
Fim a 18 Novembro, 2021
Duração 13 Dias / 12 Noites
Pessoas 14
Preço desde 4.990.EUR
Localização ETIÓPIA

Itinerário da Viagem

LISBOA / ADDIS ABEBA
01º.DIA - 06.Nov.2021 (Sábado)
LISBOA / ADDIS ABEBA

Saída em voo regular da Emirates com destino a Addis Abeba via Dubai.

Noite a bordo.

ADDIS ABEBA - AGENA
02º.DIA - 07.Nov.2021 (Domingo)
ADDIS ABEBA - AGENA

Chegada a Addis Abeba a capital da Etiópia.

 

Após os tramites de imigração e recolha de bagagem vamos dar início a uma experiência de vida na companhia do nosso Mentor, para além de experiente, o Nuno Lobito é um excelente comunicador, profissional, alegre, motivador, a perfeita companhia para tornar a sua viagem de aventura, numa experiência inesquecível.

 

Saída por terra para um lugar raramente é visitado: Agena o território do grupo étnico Gurage que habitam uma região semi-fértil semi-montanhosa, a cerca de 150 quilómetros a sudoeste da Addis Abeba.

No coração do território Gurage teremos o nosso primeiro contacto com algumas das suas aldeias tradicionais.

Alojamento:        Desalegn Lodge ou similar

Refeições:            Pensão completa

AGENA - WOLAYTA
03º.DIA - 08.Nov.2021 (Segunda)
AGENA - WOLAYTA

Pela manhã visitaremos as aldeias Gurage na zona montanhosa de Agena e vamos interagir com a população local, compartilhando o seu cotidiano. Esta área é predominantemente agrária e pouco visitada por turistas, pelo que permite que os costumes e tradições se mantenham intactos, apesar de não ser uma etnia vistosa pelo seu vestuário.

Alojamento:  Lewi Resort Wolayta ou similar

Refeições:  Pensão completa

WOLAYTA - PARQUE NACIONAL DE MAZE - JINKA
04º.DIA - 09.Nov.2021 (Terça)
WOLAYTA - PARQUE NACIONAL DE MAZE - JINKA

Continuaremos ao longo da estrada para o sul do país passando pelo desconhecido Parque Nacional do Maze, onde faremos uma visita matinal com o objetivo de avistar animais selvagens. Maze é conhecido por ser o santuário de um antílope ameaçado nativo da Etiópia. Duas das maiores populações restantes estão localizadas no Hartebeest Sanctuary de Senkelle Swayne e no Maze National Park.

Continuaremos o nosso percurso por uma estrada pouco percorrida, que nos levará através das aldeias Gamo, muito pouco conhecidas dos turistas. Se tivermos a possibilidade visitaremos alguns dos mercados locais para apreciá-los.

À tarde chegaremos a Jinka, ponto chave para visitar o Parque Nacional do Mago.

Alojamento:        Omo Eco Lodge ou similar

Refeições:            Pensão completa

HANNA MURSI - MURSI - JINKA
05º.DIA - 10.Nov.2021 (Quarta)
HANNA MURSI - MURSI - JINKA

Sairemos da cidade de Jinka para entrar, agora, no meio do Vale do Omo. Jinka é o ponto de partida para o Parque Nacional Mago e as aldeias Hanna Mursi (também conhecidas como Bodi). Uma vez nas aldeias Hanna Mursi, visitaremos este interessante grupo étnico que todos os anos realiza uma competição entre homens para decidir quem é o homem mais gordo. Em seguida, iremos às aldeias da etnia mais famosa da região: os Mursi, famosos pelos seus pratos labiais. Essa tradição ainda continua. Muitas mulheres fazem uma inserção no lábio inferior na adolescência que aos poucos vai se ampliando como símbolo de beleza. É uma cidade dedicada principalmente ao pastoreio. Também realizam trabalhos agrícolas, principalmente cultivo de sorgo e milho. A caça também é uma atividade importante para os Mursi, embora tenha sido reduzida porque o seu território foi declarado reserva de vida selvagem.

Voltaremos a Jinka onde passaremos a noite.

Alojamento:  Omo Eco Lodge ou similar

Refeições:  Pensão completa

JINKA - TURMI
06º.DIA - 11.Nov.2021 (Quinta)
JINKA - TURMI

Pela manhã deixaremos Jinka e seguiremos para Turmi. Ao longo do caminho, dependendo do dia da semana, podemos parar num dos mercados locais semanais (segunda-feira, Turmi; terça-feira, Benna; quinta-feira, Key Afar; sábado, Dimeka são os mais importantes). Uma vez em Turmi teremos a oportunidade de ter um primeiro contato com a etnia Hamer, e poderemos visitar algumas das aldeias para tirar fotos até o pôr do sol.

Alojamento:  Paradise Lodge ou similar

Refeições:  Pensão completa

TURMI - KANGATE (NYANGATOM) - TURMI
07º.DIA - 12.Nov.2021 (Sexta)
TURMI - KANGATE (NYANGATOM) - TURMI

 

Pela manhã iremos às aldeias Nyangatom, perto de Kangate. Aqui podemos visitar as escavações paleontológicas de Shkora, um local onde foram encontrados ossos de animais (por exemplo, elefantes) e até mesmo Homo Sapiens. Teremos também a oportunidade de visitar as etnias Nyangatom e Kuyogu. Estas etnias dependem da pecuária, e são os jovens que percorrem longas distâncias para cuidar dos animais.

À tarde retornaremos a Turmi (pode haver alguma variação nos horários se isso facilitar a participação em algum ritual ou festa que aconteça nos arredores).

Alojamento:  Paradise Lodge ou similar

Refeições:  Pensão completa

OMO RIVER (DASSANECH) - TURMI
08º.DIA - 13.Nov.2021 (Sábado)
OMO RIVER (DASSANECH) - TURMI

Viajaremos às margens do Rio Omo para nos aproximarmos de vilas pouco visitadas da etnia Dassanech, onde poderemos compartilhar o dia com os habitantes, aprendendo os seus costumes e rituais. Sempre atento a qualquer possibilidade, o nosso guia informará sobre cerimónias ou eventos que possam estar disponíveis na área.

Do rio Omo iremos até Turmi, capital da etnia Hamer, uma tribo de costumes ancestrais, com língua, religião e crenças próprias. Os Hamer são tremendamente hospitaleiros, com ritos únicos entre os quais podemos destacar o “Ukuli Bula” (salto de bois), a entrega do “Boko” e a dança “Evangadi”.

Os Hamer são, certamente, o grupo étnico arquetípico do Omo. Especialmente marcantes são as mulheres, adornadas com grossas tranças de cabelos de cor ocre que formam franjas grossas, saias de couro e inúmeras pulseiras presas aos braços e pernas.

Os homens, por sua vez, assim como as mulheres, praticam a escarificação corporal e vestem uma vestimenta mais simples, exceto aquela que usam para cerimónias. O nosso guia, mais uma vez, ficará atento para a possibilidade de assistir a uma cerimónia que esteja a ser realiza nas aldeias vizinhas.

Retorno a Turmi à tarde.

Alojamento:  Paradise Lodge ou similar

Refeições:  Pensão completa

 TURMI - ETNIA ERBORE - KONSO
09º.DIA - 14.Nov.2021 (Domingo)
TURMI - ETNIA ERBORE - KONSO

 

Saímos para Konso passando pelas aldeias Erbore. As aldeias de Erbore são compostas por mais de uma dúzia de clãs, onde os reis são chamados de “Olmok” e os chefes de aldeia, “Furto”. Diz a lenda que entre o povo Erbore existem feiticeiros capazes de fazer chover na estação seca.

Continuaremos o nosso percurso até ao Konso, onde visitaremos uma das aldeias. As  aldeias labirínticas são autênticas fortalezas que os protegem das etnias vizinhas. Situam-se no topo das colinas basálticas e são miradouros sobre os terraços de cultivo que os rodeiam. Os Konso continua a praticar o animismo, apesar de ter influência religiosa externa por algumas gerações. Em 2011, a paisagem cultural do Konso foi considerada Património Mundial da UNESCO.

A estrutura social dos Konso é baseada na pertença a um dos nove clãs, “Gada”, no qual a sociedade Konso está enquadrada. Cada “Gada” tem uma autoridade religiosa que recebe o título de “Pokwalla”. Os rituais associados ao culto aos mortos desempenham um papel fundamental na comunidade Konso. A manifestação mais visível do culto aos ancestrais são os “Waga”, estátuas de madeira que são erguidas em memória do falecido com certa relevância na sociedade Konso.

Alojamento:  Kanta Lodge ou similar

Refeições:  Pensão completa

KONSO
10º.DIA - 15.Nov.2021 (Segunda)
KONSO

Dia dedicado a explorar as aldeias Konso. É uma cidade dedicada à agricultura, com culturas em socalcos, embora sejam também excelentes apicultores, cujo mel é apreciado internacionalmente. São também excelentes artesãos, hábeis em carpintaria, ferraria, cerâmica e tecelagem.

Compartilharemos experiências nas aldeias Konso ao longo do dia.

Alojamento:  Kanta Lodge ou similar

Refeições:  Pensão completa

KONSO - DORZE - ARBA MINCH
11º.DIA - 16.Nov.2021 (Terça)
KONSO - DORZE - ARBA MINCH

Sairemos de Konso em direção a Arba Minch e depois seguiremos para Aldeias Dorze. Subiremos uma trilha que ganhará altura e com vistas incríveis do Parque Nacional Nechisar. Visitaremos a etnia Dorze. As casas são singulares (feitas de bambu) pois formam cúpulas em camadas de seis metros de altura, são o cartão de visita desta etnia. No interior, bastante espaçoso, com um fogo de chão utilizado para cozinhar como para aquecer o ambiente. Os Dorzes também são conhecidos pelos seus vestidos coloridos com padrões geométricos, que fabricam e exportam para todo o país. É comum observar os Dorze a trabalhar no seu artesanato tradicional ou segurando os fios de algodão á porta das suas casas.

À imagem e semelhança dos Pigmeus e dos Khoisan, têm uma música polifónica denominada “Edho”, que geralmente é cantada durante a Epifania ou nos festivais de iniciação. Além disso, podemos desfrutar de dois mercados pitorescos na área de Dorze. No final do dia desfrutaremos de danças típicas dos Dorze à volta de uma fogueira. Será o culminar da nossa imersão por este povo.

Voltaremos a Arba Minch para pernoitar.

Alojamento:  Haile Resort ou similar

Refeições:  Pensão completa

ARBA MINCH /  ADDIS ABEBA / LISBOA
12º.DIA - 17.Nov.2021 (Quarta) -
ARBA MINCH / ADDIS ABEBA / LISBOA

Bem cedo visitaremos o Lago Chamo, antes de sairmos para o aeroporto para a viagem de regresso à capital da Etiópia.

Chegou a hora da partida! Despedimo-nos da Etiópia de alma cheia, o nosso mundo é surpreendente.

Saída em voo regular da Emirates com destino a Lisboa via Dubai.

Noite a bordo.

LISBOA
13º.DIA - 18.Nov.2021 (Quinta)
LISBOA

Chegada a Lisboa e fim da viagem.

Biografia
NUNO LOBITO
Biografia

A sua carreira começou na Ar.Co onde estudou fotografia e posteriormente, foi fotógrafo profissional, no Diário de Notícias. Com um desejo muito forte de dar a volta ao Mundo e encontrar o seu lugar na fotografia, decidiu então partir à conquista desse desígnio.

Passou os anos 90 a viajar, dedicado à foto-reportagem e a recolher experiências humanas. Regressava esporadicamente a Portugal para publicar trabalho e leccionar cursos de fotografia.

Viveu entre tribos indígenas no seio da Floresta Amazónica, fotografou cenários de guerra, e visitou Sua Santidade, o Dalai Lama.

No dia 11 de Novembro de 2011, aos 47 anos, tinha visitado os 193 países reconhecidos pela ONU, mais 11 auto-proclamados independentes. Este feito conquistou-lhe uma posição de topo na tabela dos mais viajados do Mundo, segundo o site The best travelled .

Em 2012, no programa Revelações, emitido pelo canal RTP Memória, o fotógrafo juntamente com a apresentadora Isabel Angelino, dedicavam cinco minutos a percorrer os países do Mundo através das suas fotografias, onde se explicavam também aspectos técnicos e se faziam revelações das viagens.

Em simultâneo com a paixão de viajar e fotografar, Nuno Lobito dedica-se, desde 1999, à actividade de formador de cursos de fotografia, dentro da temática de viagens, onde partilha os seus conhecimentos e experiências adquiridas.

Das instituições onde tem uma ligação como formador, referem-se a Ar.co, Restart, Etic e World Academy.

Desde Junho de 2019, desempenha as funções de diretor de arte de fotografia na academia Muscat de artes árabes em Oman.

A VIAGEM

Destino

Capture sete tribos distintas encontradas no Vale do Omo e arredores, fotografe algumas das tribos mais coloridas e bizarramente adornadas deste planeta. Focamo-nos nas tribos Bodi, Mursi, Nyangaton, Dassanech, Hamar, Konso e Dorze, proporcionando aos visitantes a rara oportunidade de fotografar e interagir com povos que, até agora, escaparam do ataque da modernidade.

Alojamento

Utilizamos os alojamentos mais adequadas e disponíveis em cada área, para desfrutamos da experiência.

Antes que seja tarde

As tribos são a identidade cultural do Vale do Omo, e o seu modo de vida, estão colocadas sob pressão crescente do mundo exterior, e realmente é uma oportunidade de "explorar e fotografar o Vale do Omo enquanto não perde a o seu caracter.

Viajar com o grupo restricto

Viaje para este local remoto em grupos de não mais do que 14 participantes, com outras pessoas com o mesmo interesse para uma experiência cultural como nenhuma outra!

Experiência guiada

Temos um conhecimento local da região, juntamente com um forte relacionamento com a equipe local, que garante a melhor experiência neste tour fotográfico.

As viagens são realizadas em viaturas 4x4, 3 pessoas por viatura de modo a poder desfrutar e fotografar… (excepto em Addis Abeba)

INFORMAÇÕES IMPORTANTES

Requisitos de entrada

Passaporte com uma validade mínima de 6 meses à data do regresso.

Os requisitos de entrada são válidos apenas para cidadãos portugueses. Todas as outras nacionalidades devem consultar a OSIRIS ou embaixada / consulado relevante para obter aconselhamento.

Visto

Possuir um visto válido que pode ser obtido antes da viagem (www.evisa.gov.et).

Fuso horário

GMT+3 ou 4

A diferença horária a respeito de Portugal é de 4 horas no inverno e 3 horas no verão.

Língua

O idioma oficial é o amárico, língua semítica, embora também se falem outras setenta línguas. Também há zonas onde se fala o inglês ou o árabe.

Saúde

Em relação a quaisquer vacinas ou precauções de saúde que possam ser necessárias, a OSIRIS recomenda que consulte o seu médico de família ou a Consulta do Viajante para aconselhamento pessoal.

Recomenda-se precauções contra: Cólera, Febre-amarela & Tifoide, Poliomielite, Hepatite A & B , Malária, Tétano e Difteria.

Recomendam-se igualmente precauções com alimentos e bebidas.

Seguro de viaje para Etiopía

É muito importante ter um seguro de viagem abrangente ao reservar suas próximas férias, e exigimos que todos os que viajam connosco tenham uma apólice adequada. A sua segurança e diversão ao viajar são fundamentais. Para este fim, contratamos um seguro de viagem abrangente com os corretores de seguros especializados que cobrem muitas situações .

Clima

Por ser um país muito grande e com altitudes diferentes, o clima da Etiópia é muito variado, com grandes contrastes.

A temperatura na Etiópia geralmente varia entre 13 e 33 graus. No entanto, em áreas mais altas, a temperatura pode ser mais baixa e em áreas desérticas, como a área de Afar ou o deserto de Danakil, as temperaturas podem chegar a 50 graus.

As chuvas ocorrem geralmente de junho a outubro, sendo mais intensas nos meses de agosto e setembro.

Em termos gerais, pode viajar para a Etiópia durante todo o ano, mas dependendo da área do país que deseja visitar, a melhor época para viajar para a Etiópia é um ou outro. Em geral, recomendamos evitar a estação das chuvas, bem como os meses de verão europeus para as partes oriental e ocidental do país.

Portanto, a melhor época para viajar para o norte da Etiópia é de setembro a maio.

Se você quiser viajar para a Etiópia em agosto, recomendamos visitar o sul do país, ou uma combinação de norte e sul.

Moeda

A moeda oficial é o birr. Pode-se cambiar moeda em bancos e hotéis.

Compras

Uma multitude de objetos artesanais aparecem na Etiópia mostrando as suas distintas caraterísticas das etnias que ali vivem. Podemos adquirir joias, tecidos, esculturas de madeira. Instrumentos musicais, etc.

Eletricidade

Corrente de 200 volts a 50 Hz

SEGURANÇA NO CONTEXTO COVID 19
INFORMAÇÃO
SEGURANÇA NO CONTEXTO COVID 19

Durante o surto de pneumonia pelo novo Coronavírus – COVID-19, foram tomadas as medidas de saúde pública necessárias para proteção de toda a população. A análise da evolução do surto é constante e a implementação de novas medidas será feita sempre que se justifique.

Recomendamos que verifique as informações publicadas no MNE, antes de confirmar a sua reserva.

Para oferecer a máxima garantia de saúde, segurança e bem-estar dos nossos clientes, todos os Hotéis & Resorts propostos pela OSIRIS Travel possuem Certificados/Protocolos necessários, indicados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Inclui

  • Passagem aérea em voo regular e em classe económica de acordo com o programa;
  • Transporte gratuito de uma bagagem de porão;
  • Alojamento por 10 noites em quarto standard e de acordo com o programa;
  • Regime de pensão completa e de acordo com o programa;
  • Todos os percursos terrestres em viatura 4x4, 3 pessoas por carro, excepto em Addis Abeba;
  • Todas as visitas mencionadas no programa;
  • Entrada nos Parques Nacionais;
  • Guias locais durante toda a estadia;
  • Acompanhamento durante toda a viagem por Guia Osiris e pelo Mentor de Fotografia;
  • Seguro de viagem;
  • Taxas de turismo, de serviço e IVA.

Não Inclui

  • Despesas de carácter pessoal;
  • Bebidas;
  • Actividades não especificadas ou opcionais;
  • Outros serviços não mencionados.
  • Visto;

Notas Importantes:

  • Programa sujeito a alterações sem aviso prévio:
  • Viagem realizada com um mínimo de 14 participantes.

Outros pacotes turísticos disponíveis para si

Loading logo